Marginália

Marginália

Exposição, 2016

Marginália apresenta um conjunto de obras inspiradas em nomes da contracultura. Sindicalistas, ativistas e excluídos que se levantaram contra o status quo. Nascida da vontade de um grupo de amigos em voltar os holofotes para seis personagens de grande importância no cenário sociocultural do Brasil: Madame Satã, Marietta Baderna, Nise da Silveira, Margarida Maria Alves, Maria da Penha e (Dadá) Sérgia Ribeiro da Silva.

O destaque dado a estes personagens reflete a necessidade de coloca-los na condição de protagonistas, que lhes foi negada ou diminuída por serem quem foram. Não é à toa que a maioria dos nomes seja de mulheres, e o único homem entre elas tenha transitado entre o masculino e o feminino em uma época na qual a fluidez de gênero era quase impensável.

Assim, a luta a favor das minorias, a voz dos trabalhadores rurais, a quebra dos paradigmas da fragilidade atribuído ao feminino e a coragem de erguer a voz contra o abuso e a violência ganham vida em parceria com a SÊ-LO  através do de desenhos de minha autoria.

Marginália tornou-se exposição em setembro de 2016 na biblioteca Mário de Andrade com curadoria de Marcos Pecci e patrocínio SÊ-LO.

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!